Único vereador eleito comemora ‘chapa fantástica’ com PSL e ‘onda Bolsonaro’

Enquanto os parlamentares do PSDB se queixam da estratégia do partido nestas eleições proporcionais, Lucas de Lima (SD), que fez parte da coligação tucana, comemora ser o único vereador eleito de Campo Grande a deputado estadual. Entre os fatores para seu êxito nas urnas, ele aponta a “chapa fantástica” e a “onda Bolsonaro”.

“Me sinto feliz pela chapa que eu estava, em que a gente elegeu sete. Uma chapa fantástica com a onda Bolsonaro”, celebrou Lucas, após a sessão de terça-feira (9), na Câmara de Vereadores. Ele teve 12.391 votos, menos do que outros sete candidatos que não conseguiram se eleger.

O candidato do Solidariedade só conquistou uma cadeira na Assembleia Legislativa por estar no grupo que teve os dois maiores votados, Capitão Contar e Coronel David, correligionários do presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL. O volume de votos dos dois impulsionou o quociente eleitoral do time também formado pelos partidos PSB, PP, PPS, PTB e PMB.

Enquanto isso, o PSDB, que liderava a coligação de 14 legendas e esteve com DEM e PROS, viu seu vereador mais votado, André Salineiro (18.953 votos), ficar de fora do Legislativo estadual. Segundo em popularidade, Chiquinho Telles (PSD), com seus 15.596 votos, teve de se contentar com a primeira suplência do seu partido.

“Não esperava que fosse ser tudo isso, acho que ninguém esperava, no Brasil, que iria vir tanto assim, mas eu esperava devido ao forte crescimento do candidato Bolsonaro. Só não imaginava que vinha tantos votos assim para deputado estadual”, complementa Lucas de Lima.

Apesar de reconhecer a ajuda que teve, também destacou seu esforço pessoal. “Venho trabalhando muito desde 2014 junto ao povo. Campanha honesta, sem dinheiro e sem apoio dos poderosos. Conseguimos e agora é entrar lá e trabalhar pelo povo”, conclui.


CRÉDITOS: JORNAL MIDIAMAX (www.midiamax.com.br)

Categoria:POLÍTICA

Deixe seu Comentário